segunda-feira, fevereiro 23, 2009

O outro lado da crise

"Maybe the meltdown wasn't what you think"
[mais]

Óscars

O melhor: o Óscar póstumo para Heath Ledger, quem consegue ser melhor que Jack Nicholson merece o reconhecimento.
O pior: o Óscar para Penélope Cruz, assim, de repente, lembro-me de meia dúzia de filmes em que esteve melhor do que Vicky Cristina Barcelona.

Dedicado a todos os que gostam do Carnaval

"sou mais um no carrossel
dos esquisitos
gente feia a girar
nao é bonito?
juntos vamos celebrar
esta nossa palidez
que nao da p’ra disfarcar

como abutres no céu
sao quase lindos
dois feiosos a rodar
gritando e rindo
sao aberracões no ar
oh meu querido
fecha os olhos p’ra me beijar
que o mundo vai-se acabar

menos p’ra ti e p’ra mim
enquanto eu nao te olhar
de tao perto assim
p’ra nao me assustar

se uma bomba nuclear
tem a sua beleza
gente feia tem também
nem mesmo mata ninguém
que nao mereca sim
morrer por ser ruim
por fazer sofrer
quem me quer assim

sobramos só nós dois
ninguém p’ra comparar
o nosso bolo de arroz
com champanhe e caviar"

Letra dos Clã para o tema Carrossel dos Esquisitos.

domingo, fevereiro 22, 2009

Serenidade

"Soros Says Crisis Marks End of Free-Market Model That Started Under Reagan [mais]"
Fico, particularmente, descansado com estas notícias. O Soros não acerta uma. Ainda em Março dizia que o pior da crise já tinha passado. Cada vez mais, parece um daqueles homens que teve um dia de sorte e que o tornou num homem muito rico. Só isso.

domingo, fevereiro 15, 2009

63º Cubo: entre o limbo e o sol




Volume: Eco
Série: 2.0
Coordenadas: Apparat, Boards of Canada, Fennesz, FortDax, Ktu, Murcof, OPTO, Radiohead, Susumu Yokota.
entre o limbo e o sol.mp3

sábado, fevereiro 14, 2009

Ainda Revolutionary Road

Continuo com várias inquietações em relação a este filme. A mais forte, que me tem assolado nos últimos dias, relaciona-se com o momento histórico que as personagens viviam. Estávamos no Pós-Segunda Guerra Mundial, a personagem interpretada por DiCaprio tinha estado na libertação de Paris. A sociedade ocidental tentava regressar "à normalidade" depois de um evento único que marcou a vida de todos que atravessaram aquela época. Este regresso à normalidade tem algo de assustador e desconcertante, tão desconcertante quanto a normalidade que o casal tenta aparentar. Normalidade que é tão turbulenta como a guerra que viveram.

terça-feira, fevereiro 10, 2009

Medo! parte 2

Cá está, o tão esperado plano Obama:

1. To stabilize the system and restore confidence in our markets, for the first time ever federal bank regulators will come together to institute uniform standards to help clean up and strengthen banks, and conduct "stress tests" to ensure the nation's largest banks can withstand a worsening economy. Those banks that need it will be given a capital buffer to ensure they can keep lending to families and businesses until they can attract additional private capital and weather economic downturns.

2. To revitalize lending and increase much-needed credit flowing to consumers and businesses, Treasury and the Fed are creating a new consumer business lending initiative to leverage up to $1 trillion dollars to kick start the secondary lending markets, which will bring down borrowing costs for responsible borrowers and help get credit flowing again.

3. To get financial markets working again, we will create a new Public-Private Investment Fund which provide government capital and financing to leverage private capital to buy up the "toxic assets" that are dragging down lending. This would allow financial institutions to cleanse their balance sheets while letting private sector buyers determine the price for previously illiquid assets.

4. To keep people in their homes and curb the housing crisis, Treasury will work with the Federal Reserve to commit $50 billion to reduce monthly payments and establish loan modification guidelines for government and private programs. The Financial Stability plan will also require all firms receiving federal funds participate in foreclosure mitigation plans to stem the housing crisis.

Coisas que me metem medo:

"Russia Denies it Plans Debt Restructuring" [mais]

segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Medo!

Dr. Doom & Black Swan: You Ain’t Seen Nothin’ Yet!
Roubini & Taleb [
aqui]

The Versailles Sessions por Murcof [2009]

Ainda há pouco começou e 2009 já se afirma como um ano de grandes discos. Marca o regresso de um dos mais talentosos tecelões de microelectrónicas. No entanto, Mucrof abandonou os habituais microespaços e desta vez, a convite, fez música para os jardins de Versailles. Barroco q.b., com um sentido de espaço superior, The Versailles Sessions, é um disco com uma arquitectura magnífica.

8/10

domingo, fevereiro 08, 2009

Changeling por Clint Eastwood [2009]

É uma constante na obra de Clint Eastwood, mas parece que se intensificou na última década: retratar os valores que são a fundação da mais sólida democracia do mundo. Em Changeling, ainda que em piloto automático, Clint Eastwood, mais do que recuperar a luta por direitos e liberdades, mostra como essa luta foi conseguida numa época que, à luz da vertigem do tempo actual, parece quase pré-histórica. Grande parte da sofisticação e, talvez, a superioridade da democracia americana assenta no facto de ter sido líder em todas as revoluções sociais que marcaram o século passado. Muitas delas, como a retratada, em Changeling, fazem envergonhar o velho ocidente, que se viu, claramente, ultrapassado num ponto em tinha a obrigação de, se não liderar, pelo menos não ficar tão, irremediavelmente, atrasado.

7/10

62º Cubo: intrépidamente só


















Volume: Eco
Série: 2.0
Coordenadas: Antony And The Johnsons, Beach House, Murcof, The Knife.
intrépidamente só.mp3

sábado, fevereiro 07, 2009

Valkyrie por Bryan Singer [2009]

Valkyrie suscita-me uma terrível dúvida: se o plano para assassinar Hitler tivesse sido concretizado, se a Alemanha nazi tivesse conseguido tréguas com os aliados, se (por mais terrível que isto possa soar) os nazis não tivessem sido (e não há outra forma de dizer isto) dizimados, será que passado uma ou duas décadas, tal como aconteceu após a primeira guerra mundial, não teríamos uma terceira guerra mundial?
Realização eficaz de Singer e Cruise com bom desempenho.
Único problema, depois da assombrosa representação de Bruno Ganz em Der Untergang, qualquer tentativa de representar Hitler sabe a pouco, sobretudo se colocarem Hitler a falar inglês.
7/10

quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Revolutionary Road por Sam Mendes [2009]

Às vezes empurramos as pessoas para o limite, outras vezes, simplesmente, não percebemos que elas estão lá. Depois, existe o hábito medíocre de empurrar aquilo que provoca sofrimento para o esquecimento.
Mais uma vez, a dupla Sam Mendes e Thomas Newman está irrepreensível.
Falta Allan Ball mas há a representação magnífica de Kate Winslet. Espero, ansiosamente, pro The Reader.
8/10

domingo, fevereiro 01, 2009

61º Cubo: Três ideias e um microcosmos



Volume
: Eco
Série: 2.0
Coordenadas: Ali Farka Toure+Toumani Diabat, Calexico, David Sylvian and Ryuichi Sakamoto, Ghost, Gustavo Santaolalla, Susumu Yokota, Yeasayer
Samples: Babel
Notas: o mundo como um alfinete, onde ecos confundem-se com a estática e na estática estão as respostas. Uma alucinação, depois uma encruzilhada temporal, parar e paralisar por fim reunir o que interessa com um olhar atento ao microscópio. A desorientação é uma ilusão, a mescla o caminho.
três ideias e um microcosmos.mp3
1.0 (31) 2.0 (56) 3.0 (121) Alfa (9) Árvore (9) Beta (15) Cibéria FM (12) Cinzas (23) Coisas (17) Consola (8) dna (13) Eco (23) Entropia (21) Ferrugem (14) Kubrick (6) Magnum Park (19) Memória (14) Metropolis (22) Notas (1) Planificação (212) promo (1) Rothko (2) Tabaco (20) Vertigem (22)