terça-feira, março 31, 2009

Matrix

Revolucionou os blockbusters de ficção científica há, exactamente, 10 anos atrás.
Um dos poucos filmes que vi duas vezes no cinema. Sou dos que defendo os três filmes em conjunto. Não há um filme menor nesta trilogia. [mais] [mais mais]

The Ruby Suns ao vivo no Maus Hábitos [Porto]

Fusão, fusão e mais fusão. Músia de 2008 com adn de 2010. Sinais dos tempos. O Maus Hábitos é um espaço simpática mas não é uma boa sala de espetáculos, o que não foi problemático pois os Ruby Suns, ainda estão pouco rodados em concertos ao vivo.

7/10

segunda-feira, março 30, 2009

Estes estranhos dias

Acho, particularmente, interessante e um forte sinal dos tempos que aí vem o facto de a administração Obama ter apresentado uma de duas soluções possiveis à Crysler: fusão com a Fiat ou falência. [mais]. 
Fusão com a Fiat?? Tanto repúblicano que deve ter ficado a espumar com esta solução.

Tivoli Audio One

Meia dúzia de linhas sobre um pequeno grande prazer. Aqui.

domingo, março 29, 2009

67º Cubo: aviões de papel





Volume: DNA
Série: 2.0
Coordenadas: Animal Collective, Chari Chari, Gorillaz, High Places, Jann Pehechaan Ho, MIA, Madlib, Mulatu Astatke, Panda Bear, PSAPP, Ratatat, Santogold, The Ruby Suns.
aviões de papel.mp3

quinta-feira, março 26, 2009

Gran Torino por Clint Eastwood [2009]

Clint Eastwood é um dos maiores contadores de histórias vivos de Hollywood. Não precisamos de Gran Torino para saber isso.
Angustia-me, profundamente, a visão que Eastwood tem da sociedade ocidental actual. Já Million Dollar Baby tinha-me perturbado nesse mesmo aspecto. Insiste na espiral de degradação que valores que, actualmente, vivemos. Valores que foram fundadores do Ocidente. Valores que em tempos eram tudo e hoje parecem não ser nada. E sem valores, afinal para onde caminhamos? [mais]

8/10

Inveja

Ora cá está um evento que devia ser no Porto ou em Braga: aqui.

quarta-feira, março 25, 2009

terça-feira, março 24, 2009

66º Cubo: proteger




Volume: DNA
Série: 2.0
Coordenadas: Al Green, Arthur Russell, Billie Holiday, Bob Dylan, Curtis Mayfield, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Joe Bataan, K.C. and the Sunshine Band, Leonard Cohen, nat King Cole, Nina Simone, Simon & Garfunkel, African Music Machine, Philip Glass.
proteger.mp3

Fever Ray - Fever Ray

Electrónica barroca como só os Knife sabem fazer. Correcção, como só a Fever Ray sabe fazer. A propósito sempre que ouço o Silent Shout penso que daria uma banda sonora alternativa perfeita para o Eyes Wide Shut do Kubrick. [mais]

9/10

Watchmen por Zack Snyder [2009]

Acima de tudo, senti-me esmagado pela iconografia deste filme.
Snyder transpõe uma obra-prima, criada por Alan Moore. Fá-lo de forma irrepreensível e por isso merece o reconhecimento.
Snyder não precisava de fazer mais para ser responsável por um dos melhores filmes do ano. Ainda bem que cometeu tantos erros em 300. Serviram para cumprir a sua curva de aprendizagem.
Uma palavra de desagrado em relação à pouca coerência da crítica de cinema em Portugal: 300 foi perseguido porque Snyder ousou ir mais além e acabou por "desvirtuar" o material original. Concordo. Agora Watchmen recebe críticas entusiásticas porque Snyder transpôs, fielmente, a história mas o filme é corrido com notas medianas. Caros, vamos ser coerentes, com um argumento deste calibre Snyder não precisa de ir mais além. Precisa apenas de fazer bem e fez. Para sermos justos até fez muito melhor porque o trabalho gráfico original está bastantes furos abaixo do filme.
Watchmen marcou o mundo da BD na década de 80 e volta a marcar, agora a década 00, como um dos melhores blockbusters feitos pós-Matrix. [mais]

9/10

segunda-feira, março 23, 2009

Before the Devil Knows You`re Dead por Sidney Lumet [2009]

Magnífico elenco.
Magnífico trabalho de montagem que só não é surpreendente porque temos o Lost, onde há um trabalho fabuloso de flashbacks e flashfowards. [mais]

7/10

quinta-feira, março 12, 2009

Milk por Gus Van Sant [2009]

Grande documentário.
Óscar merecido para Sean Penn.
Definitivamente, Gus Van Sant não sabe fazer filmes maus.

8/10

terça-feira, março 10, 2009

Sinais

E se de repente, houvesse uma mudança de 180º?

"Uptick Rule on Shorting Stocks Expected to Be Restored"

domingo, março 08, 2009

65º Cubo: contemplação ou parar




Volume: DNA
Série: 2.0
Coordenadas: Bjork, Black Dice, Dead Combo, Ghost, Guitar, Kimmo Pohjonen, Moderat, Ms John Soda, Susumu Yokota, Tinariwen, Yuichiro Fujimoto, Zeena Parkins.
contemplação ou parar.mp3

sábado, março 07, 2009

Stanley Kubrick

10º aniversário da morte de um dos maiores realizadores de todos os tempos. Curvo-me, solenemente, perante a sua memória. [mais]

sexta-feira, março 06, 2009

Slumdog Millionaire por Danny Boyl [2009]

Slumdog Millionaire é, de facto, um objecto cinematográfico de nível superior. Muito triste o tipo de argumentação que foi usado por alguns críticos nacionais em relação a este filme. No entanto, gostaria de lembrar, os mais distraídos defensores deste filme que Danny Boyl não fez só Trainspotting e Slumdog Millionaire. Lembro-me pelo menos, de mais dois grandes filmes deste realizador, largamente, ignorados em Portugal: The Beach e Sunshine.
Não foi a minha principal aposta para os Óscares mas aceito a escolha.

8/10

Moderat - Moderat [2009]

Já há bastante tempo que deixei de ter tempo (e paciência) para procurar talento em discos desconhecidos. Pago aos críticos das revistas que leio para terem essa árdua tarefa e dou a questão como encerrada. Bem, esta semana desviei-me, ligeiramente, deste princípio. Porquê? Porque descobri um projecto paralelo de Apparat. Como este senhor, juntamente com a Ellen Allien, foi autor de um dos melhores discos desta década, o Orchestra of Bubbles, decidi ouvir a sua nova colaboração. A nova dupla chama-se Moderat e a Apparat junta-se Modeselektor. Para ouvir, insistentemente, nos próximos tempos.

8/10
[mais]

Lost por J.J. Abrams

Estou a acompanhar a quinta temporada desta série que está a ser exibida nos EUA. A série ainda não terminou, deverá ter mais uma temporada, no entanto, não preciso de ver o fim para falar deste prodigioso objecto. Está para além do que é habitual em televisão e não tem ponto de referência em relação ao cinema. A narrativa é longa e foi criada para ser longa, nunca caberia num filme ou em vários. Precisa de espaço e de tempo, para ser contada, para ser admirada. Qual é o tema? Pessoas. Pessoas, perdidas, no sentido mais poetico so termo. Pessoas perdidas no espaço e no tempo. J.J. Abrams leva a ficção científica para outro nível. Para o nível onde eu a gosto de ver, o nível do inclassificável. A grande virtude da ficção cientifica é ser um género sem limites. Tudo é permitido. Claro, que a linha que separa a criação de lixo e a criação de algo, realmente, bom é ténue. Abrams, mantem-se, genialmente, longe dessa linha. O seu estilo é superior. O resultado é um objecto a todos os níveis inclassiicável, à frente do seu tempo e definidor de uma geração.
No futuro, a boa ficção, cientifca ou não, aspirará a ser assim.

10/10

quinta-feira, março 05, 2009

Doubt por John Patrick Shanley [2009]

Excelentes actores. Argumento não convence.
Bem, trata-se do habitual filme anual da Miramax, feito à medida dos Óscares.
Ainda bem que não ganhou nenhum.

6/10

quarta-feira, março 04, 2009

The Wrestler por Darren Aronofsky [2009]

The Wrestler só poderia ser um grande filme se tivesse um grande realizador e um grande actor. Tem ambos.
Uma palavra sobre a interpretação de Mickey Rourke. Há um grupo restrito de actores que venero por conseguirem algo de extrema dificuldade, representarem e fundirem-se com a personagem de forma tão natural, diria que representam como respiram. Assim, de repente, lembro-me de Meryl Streep, Al Pacino, Tim Roth, ou Robert de Niro. Com The Wrestler, Rourke entra, directamente, para essa galeria. Nota final para o argumento, penso que é mais autobiográfico (em relação ao próprio Rourke) do que pode transparecer num primeiro visionamento.

7,5/10

segunda-feira, março 02, 2009

Songbird

Por vários motivos nunca gostei, particularmente, da Apple. Entre os vários motivos, como utilizador de Windows, desagrada-me a ideia de ter de usar o itunes para sincronizar o ipod e como biblioteca digital de música. Tal como muitas das aplicações da Apple, no itunes, as funções disponíveis são restritas e muitas vezes limitativas (para não chamar outra coisa).
Felizmente o Google e a Mozilla tem tentado quebrar muitos monopólios instituídos, sejam da Microsoft ou da Apple. Recentemente, a Mozilla, fez a primeira incursão numa área, claramente, dominada pelo itunes: música digital e podcasts. O resultado foi o Songbird, uma plataforma aberta que está para a música digital, como o Firefox está para os browsers. A aplicação, ainda na versão 1.0, faz tudo o que o itunes faz, sendo que é mais rápida, mais personalizável, mais leve e livre. Entre as inúmeras mais valias que esta nova aposta da Mozilla trás, gostaria de destacar a integração do Shoutcast, uma plataforma livre de rádio online, que permite a qualquer mortal, montar, com bastante facilidade, uma rádio com streaming online.

Para descobrir em http://www.getsongbird.com.

domingo, março 01, 2009

64º Cubo: fundações




Volume: DNA
Série: 2.0
Coordenadas: Ali Farka Touré, Dead Can Dance, Françoiz Breut, Mari Boine, Horekteer, Jaga Jazzist, Madlib,Susumu Yokota, The Ruby Suns, Tinariwen, Sigur Rós, Xiu Xiu, Yeasayer.
Notas: como se a humanidade não estivesse perdida e a música estivesse na origem das palavras. Impossível? Talvez.
fundações.mp3
1.0 (31) 2.0 (56) 3.0 (118) Alfa (9) Árvore (9) Beta (15) Cibéria FM (12) Cinzas (23) Coisas (17) Consola (7) dna (12) Eco (22) Entropia (21) Ferrugem (14) Kubrick (6) Magnum Park (19) Memória (14) Metropolis (22) Notas (1) Planificação (212) promo (1) Rothko (2) Tabaco (20) Vertigem (22)