sexta-feira, março 06, 2009

Lost por J.J. Abrams

Estou a acompanhar a quinta temporada desta série que está a ser exibida nos EUA. A série ainda não terminou, deverá ter mais uma temporada, no entanto, não preciso de ver o fim para falar deste prodigioso objecto. Está para além do que é habitual em televisão e não tem ponto de referência em relação ao cinema. A narrativa é longa e foi criada para ser longa, nunca caberia num filme ou em vários. Precisa de espaço e de tempo, para ser contada, para ser admirada. Qual é o tema? Pessoas. Pessoas, perdidas, no sentido mais poetico so termo. Pessoas perdidas no espaço e no tempo. J.J. Abrams leva a ficção científica para outro nível. Para o nível onde eu a gosto de ver, o nível do inclassificável. A grande virtude da ficção cientifica é ser um género sem limites. Tudo é permitido. Claro, que a linha que separa a criação de lixo e a criação de algo, realmente, bom é ténue. Abrams, mantem-se, genialmente, longe dessa linha. O seu estilo é superior. O resultado é um objecto a todos os níveis inclassiicável, à frente do seu tempo e definidor de uma geração.
No futuro, a boa ficção, cientifca ou não, aspirará a ser assim.

10/10
1.0 (31) 2.0 (56) 3.0 (118) Alfa (9) Árvore (9) Beta (15) Cibéria FM (12) Cinzas (23) Coisas (17) Consola (7) dna (12) Eco (22) Entropia (21) Ferrugem (14) Kubrick (6) Magnum Park (19) Memória (14) Metropolis (22) Notas (1) Planificação (212) promo (1) Rothko (2) Tabaco (20) Vertigem (22)